MULHERES DE ATITUDE, MULHERES QUE OCUPAM: RELATO E PROBLEMATIZAÇÕES DE UMA EXPERIÊNCIA ARTÍSTICA

Juliana de Lima Veloso

Resumo


O presente relato se baseia em expor um pouco do processo do projeto Mulheres de atitude, mulheres que ocupam, que foi realizado entre os meses de Outubro de 2016 a Fevereiro de 2017 e que por finalização teve como resultado uma ocupação artística nas dependência da Universidade Federal do ABC. Escrito como um Escrito de Artista o relato desta experiência vem agregar juntamente com algumas questões pertinentes ao campo das artes visuais e educação, um relato de caráter poético artístico. Partindo da ideia de “tornar-se” uma experiência artística entre artista e modelos o projeto vigente trouxe oportunidade à comunidade de mulheres de se aproximar das artes. O mesmo teve como objetivo o intuito de desmistificar os conceitos de modelo vivo, modelo como musa e corpo nu. Produzindo reflexões dentro do campo das artes visuais, sobre o corpo da mulher, a idealização da beleza e dos padrões estéticos vigentes em nossa sociedade. A experiência intencionou promover a compreensão de que todo e qualquer tipo de corpo pode e deve ser visto, posando ou não, o corpo da mulher deve ser valorizado. Já dentro do campo da educação a experiência do projeto veio agregar indagações acerca dos poderes das imagens e as possíveis pedagogias visuais que as mesmas carregam. Como artista visual e professora de artes meus pensamentos e minhas práticas aqui presentes neste relato não poderiam deixar de estar amarrados às questões da arte e da educação. É na linha foucaultiana que sigo escrevendo e pensando meus fazeres.


Palavras-chave


arte; educação; mulher; experiência; ocupação artística

Texto completo:

PDF

Referências


ALZUGARAY, Paula. Feminismo em campo expandido: Artistas tratam da discriminação contra singularidades e da descontrução da noção tradicional de gênero. Select: arte e cultura contemporânea, São Paulo, v. 5, n. 28, p.40-48, fev. 2016. Bimestral.

BEAUVOIR, Simone de. O Segundo Sexo: A experiência vivida. 2. ed. São Paulo: Difusão Européia do Livro, 1967. 2 v.

BONDIA, Jorge Larrosa. Notes on experience and the knowledge of experience. Rev. Bras. Educ., Rio de Janeiro , n. 19, p. 20-28, abr. 2002 . Disponível em . Acesso em 4 abr. 2017.

CHADWICK, Whitney. Mujer, arte y sociedade. Barcelona: Destino, 1992.

COLLING, Ana Maria. Tempos diferentes, discursos iguais: a construção histórica do corpo feminino. Dourados: UFGD, 2014.

CORONA, Marilice. A presença das motivações no(s) escritos de artistas ou fresta para além do que se vê. In: Dinâmicas Epistemológicas em Artes Visuais, 16º, 2007, Florianópolis, 16° Encontro Nacional da Associação Nacional de Pesquisadores de Artes Plásticas, 2007, p.391- 403.

COUTINHO, Andréa Senra; LOPONTE, Luciana Gruppelli. Artes visuais e feminismos: implicações pedagógicas. Revista Estudos Feministas, [s.l.], v. 23, n. 1, p.181-190, abr. 2015.

COSTA, Eudes Antônio da. A beleza pela (na) matemática. Estudos, Goiânia, v. 35, n. 2, p.187-199, mar/abr. 2008. Bimestral.

FERREIRA, Glória; COTRIM, Cecília. (org.). Escritos de artistas: anos 60/70. Rio de Janeiro: Zahar, 2006.

FOUCAULT, Michel. História da sexualidade I: a vontade de saber. Rio de Janeiro: Edições Graal, 1993.

FOUCAULT, Michel. Vigiar e punir: Nascimento da prisão. 42. ed. Petrópolis: Vozes, 2015.

LOPONTE, Luciana Gruppelli. Gênero, educação e docência nas artes visuais. Educação & Realidade, Porto Alegre, v. 2, n. 30, p.243-259, 2005. Disponível em: . Acesso em: 3 mar. 2017.

LOPONTE, Luciana Gruppelli. Sexualidades, artes visuais e poder: pedagogias visuais do feminino. Revista Estudos Feministas, [s.l.], v. 10, n. 2, p.283-300, 2002.

REVEL, Judith. Michel Foucault: conceitos essenciais. São Carlos: Editora Claraluz, 2005.

SIQUEIRA, Camilla Karla Barbosa. As três ondas do movimento feminista e suas reprercussões no direito brasileiro. In: XXIV CONGRESSO NACIONAL DO CONPEDI - UFMG/FUMEC/DOM HELDER CÂMARA, 24., 2015, Belo Horizonte. Congresso. Florianópolis: Conpedi, 2015. p. 328 - 354. Disponível em: . Acesso em: 19 jun. 2017.

STRECKER, Márion. Lisette Lagnado: a fala é o falo. Select: arte e cultura contemporânea, São Paulo, v. 5, n. 28, p.36-39, fev. 2016. Bimestral.




DOI: https://doi.org/10.12957/riae.2017.29535

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


e-ISSN: 2359-6856

 


Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.

 

 

Indexada em:


 

 

Realização: