CONTRIBUIÇÕES DO PENSAMENTO FEMINISTA PARA UMA EXPLICAÇÃO LOCALIZADA DA EDUCAÇÃO E DA APRENDIZAGEM

Etiane Araldi

Resumo


O artigo parte de algumas questões que emergiram na experiência recente das ocupações dos estudantes secundaristas no Brasil, conforme depoimentos de estudantes de São Paulo e do Rio de Janeiro. Reconhecendo o protagonismo das mulheres nesse movimento, são articuladas contribuições de autoras feministas para o desafio de pensar práticas educacionais e explicações da aprendizagem que estejam atentas ao problema da convivência, tão bem enunciado pelos estudantes. Aborda perspectivas críticas a teorias clássicas da psicologia do desenvolvimento e da aprendizagem, com o objetivo de produzir outras explicações para o processo educacional, que considerem seu caráter localizado, no sentido proposto para esse termo por Donna Haraway. Para isso, propõe o deslocamento de concepções de sujeito e política pautadas por uma racionalidade masculina, autônoma, abstrata e impessoal.


Palavras-chave


Feminismo; Educação; Aprendizagem

Texto completo:

PDF

Referências


ANTUNES, M. A. M. Psicologia escolar e educacional: História, compromissos e perspectivas. Revista Semestral da Associação Brasileira de Psicologia Escolar e Educacional, v. 12, n. 2, p. 469-475, 2008.

ARALDI, E. Das escolas e escolhas teóricas às políticas cognitivas: legitimando a experiência e a contingência na colocação do problema do conhecer e do conhecimento psi. Dissertação de Mestrado. Instituto de Psicologia, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, UFRGS, Porto Alegre, 2012.

ARALDI, E.; MARASCHIN, C. & DIEHL, R. Por um modo mais incorporado de explicar o fazer do Psicólogo. Psicologia: Ciência e Profissão, v. 34, n. 2, p. 420-443, 2014.

BENJAMIN, J. The decline of the Oedipus Complex. In: BROUGHTON, J.M. (Ed.), Critical Theories of Psychological Development, p. 211-244. Nova York: Plenum Press, 1987.

BURMAN, E. Discourses of the child. In: Deconstructing Developmental Psychology, p. 67-84. Londres: Routledge, 2008.

CAMPOS, A.J.M.; MEDEIROS, J. & RIBEIRO, M.M. Escolas de luta. São Paulo: Veneta, 2016.

HARAWAY, D. Saberes localizados: a questão da ciência para o feminismo e o privilégio da perspectiva parcial. Cadernos Pagu, v. 5, p.07-41, 1995.

HARDING, S. A instabilidade das categorias analíticas na teoria feminista. Revista de Estudos Feministas, v. 1, n. 1, p. 7-31, 1993.

MATTOS, A. Da criança da psicologia do desenvolvimento ao cidadão da política liberal. Em: MATTOS, A., Liberdade, um problema do nosso tempo: os sentidos de liberdade para os jovens no contemporâneo, p. 77-127. Rio de Janeiro: Editora FGV, 2012.

MATTOS ET AL. O cuidado na relação professor-aluno e sua potencialidade política. Estudos de Psicologia, v. 18, n.2, p.369-377, abr./jun., 2013.

MATTOS, A. & BERTOL, C. Oficinas de sexualidade nas escolas: saberes, corpo e diversidade. In: MARTINS ET AL., Intersecções em Psicologia Social: raça/etnia, gênero, sexualidades, p. 130-150. Florianópolis: ABRAPSO, 2015.

PATTO, M. H. S. A produção do fracasso escolar. Histórias de submissão e rebeldia. São Paulo: Casa do Psicólogo, 2000.

PATTO, M.H.S. De gestores e cães de guarda: sobre psicologia e violência. Temas em Psicologia, v. 17, n. 2, p. 405-415, 2009




DOI: https://doi.org/10.12957/riae.2017.29532

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


e-ISSN: 2359-6856

 


Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.

 

 

Indexada em:


 

 

Realização: