E-Governos: Da utopia à distopia

Cassiano Calegari, Salete Oro Boff

Resumo


A evolução tecnológica vem tornando obsoletos os procedimentos estatais burocráticos baseados em papel. A expectativa do contribuinte acerca da prestação do serviço público tem se voltado para a automação e interação por meios eletrônicos. Procedimentos como o envio de documentos entre repartições pelo administrado ou consultas pessoais estão, cada vez mais, em desacordo com a realidade do mundo informatizado, demonstrando uma necessidade de adequação dos mecanismos burocráticos clássicos utilizados pela administração pública. Esta adequação, entretanto, não pode ser realizada sem estudos prévios que demonstrem o melhor caminho a ser seguido e analisando os sucessos e insucessos de outros Estados que passaram pela mesma transformação. Os métodos utilizado para o desenvolvimento do trabalho são o dedutivo e monográfico e a técnica de pesquisa é a bibliográfica e de análise de casos partindo-se de exemplos de sucessos e fracassos da implementação de mecanismos de e-Governo.

DOI: 10.12957/rfd.2016.14515


Palavras-chave


E-Governo; Governo Eletrônico; Governo Aberto; Burocracia

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.12957/rfd.2016.14515

Indexada em:

Journals for Free

Endereço: Campus Maracanã, Pavilhão João Lyra Filho, 7º andar, Bloco F, sala 7123 Para atendimentos, agende um horário, através do e-mail: rfd.uerj@gmail.com  Telefones: (21) 2334-0507 e (21) 2334-2157. ISSN: 22363475.