As ruínas da cidade grande: imagens da experiência urbana na literatura brasileira contemporânea

Idilva Maria Pires Germano

Resumo


A prosa de ficção brasileira contemporânea revela que a cidade tem sido objeto privilegiado de reflexão e imaginação poética. Escritores como Rubem Fonseca, Caio Fernando Abreu, Chico Buarque, João Gilberto Noll e Luiz Ruffato exploram os aspectos desagregadores da vida na metrópole e seus efeitos sobre os processos de subjetivação, sensibilidades e formas de convívio social. Tal literatura focaliza a cidade em cenários, personagens, enredos e, sobretudo, formas de narrar, que parecem evocar a dificuldade de traduzir a cidade que hoje habitamos. Este trabalho examina a construção simbólica da experiência urbana brasileira, analisando as representações da cidade numa seleção de textos, a partir da noção de “literatura de subtração” (FARIA, 1999). Discutimos como esses textos encerram percepções desencantadas, evocando a perda da cidade moderna sonhada. O escritor, ao estranhar seu próprio espaço e tempo, deslinda as faltas, as ruínas e as patologias da vida urbana em tempos de modernidade tardia.

Palavras-chave


Experiência urbana; Literatura brasileira; Cidade na ficção contemporânea

Texto completo:

PDF HTML


DOI: https://doi.org/10.12957/epp.2009.9113

Licença Creative Commons
A revista Estudos e Pesquisas em Psicologia esta licenciada sob uma Licença Creative Commons Atribuição-Não Comercial 3.0 Não Adaptada.

 

Universidade do Estado do Rio de Janeiro
Instituto de Psicologia
© Estudos e Pesquisas em Psicologia
Rua São Francisco Xavier, 524, bloco F, sala 10.005, 10° andar, CEP 20550-013, Rio de Janeiro-RJ, Brasil
Telefone: (21) 2334-0651

E-mail: revispsi@gmail.com