Moncorvo Filho e algumas histórias do Instituto de Proteção e Assistência à Infância

Nelson Gomes de Sant´Ana e Silva Junior, Renata Monteiro Garcia

Resumo


O Movimento Higienista teve grande impacto nas políticas públicas brasileiras do final do século XIX e início do século XX, dando destaque à proteção e cuidados com a infância. Tal preocupação, influenciada diretamente por aportes teóricos oriundos da Europa, teve em Carlos Arthur Moncorvo Filho um de seus principais representantes no país. O objetivo deste artigo é analisar algumas histórias do Instituto de Proteção e Assistência à Infância (IPAI) e dos anexos criados junto a ele, idealizados pelo próprio Moncorvo Filho. Ao longo das análises, pôde-se perceber o quanto discursos e práticas de proteção à infância carregavam em si estratégias de normatização de condutas e moralização social. Retomar algumas histórias ligadas à preservação da infância no Brasil é de grande importância para a Psicologia e demais Ciências Humanas e Sociais. Tal estratégia tende a possibilitar aos especialistas de hoje refletir sobre a prática profissional e avaliar que modelos estão sendo produzidos ou reproduzidos nestas práticas.

Palavras-chave


Infância; Proteção; Moncorvo Filho; Higienismo

Texto completo:

PDF HTML


DOI: https://doi.org/10.12957/epp.2010.8985

Licença Creative Commons
A revista Estudos e Pesquisas em Psicologia esta licenciada sob uma Licença Creative Commons Atribuição-Não Comercial 3.0 Não Adaptada.

 

Universidade do Estado do Rio de Janeiro
Instituto de Psicologia
© Estudos e Pesquisas em Psicologia
Rua São Francisco Xavier, 524, bloco F, sala 10.005, 10° andar, CEP 20550-013, Rio de Janeiro-RJ, Brasil
Telefone: (21) 2334-0651

E-mail: revispsi@gmail.com