O terapeuta e o contrato terapêutico: em busca de possibilidades

Maurício S. Neubern

Resumo


O presente trabalho tem como objetivo demonstrar como é possível ao terapeuta proporcionar um legítimo contrato terapêutico com seu cliente, apesar dos obstáculos de ordem teórica e técnica. Ressalta que o contrato envolve regras de negociação de caráter objetivo, mas só se configura enquanto contrato terapêutico a partir da vinculação emocional de seus protagonistas. Partindo de três histórias clínicas de pacientes atendidas numa instituição, o trabalho enfatiza como atitudes por parte do terapeuta podem implicar na consideração com o outro e na criação de um contexto pragmático, que são fundamentais para o engajamento do cliente na proposta da psicoterapia. Em sua conclusão, destaca que o terapeuta, para assumir tais atitudes, possua flexibilidade diante de seu marco teórico, como ainda a compreensão de que, devido à singularidade das pessoas, o processo terapêutico pode acontecer de formas diversificadas.

Palavras-chave


Contrato terapêutico; Vínculo; Psicoterapia; Atitudes

Texto completo:

HTML PDF


DOI: https://doi.org/10.12957/epp.2010.8931

Licença Creative Commons
A revista Estudos e Pesquisas em Psicologia esta licenciada sob uma Licença Creative Commons Atribuição-Não Comercial 3.0 Não Adaptada.

 

Universidade do Estado do Rio de Janeiro
Instituto de Psicologia
© Estudos e Pesquisas em Psicologia
Rua São Francisco Xavier, 524, bloco F, sala 10.005, 10° andar, CEP 20550-013, Rio de Janeiro-RJ, Brasil
Telefone: (21) 2334-0651

E-mail: revispsi@gmail.com