Algumas reflexões sobre as relações entre crianças, cidades e brinquedotecas

Dolores Galindo, Leonardo Lemos de Souza, Morgana Moura, Vanusa Rodrigues

Resumo


Este artigo tem como objetivo discutir as relações entre crianças, cidades e brinquedotecas. Para tal, foram analisadas três oficinas, realizadas como atividades de extensão, em uma brinquedoteca universitária situada num município de médio porte do interior de Mato Grosso. As oficinas foram gravadas em vídeo, transcritas e posteriormente analisadas tendo como unidades as cenas definidas em função dos movimentos da câmera ou finalização das brincadeiras registradas. Na análise, três aspectos chamaram a atenção: (1) a pluralidade de sentidos do termo cidade, (2) as articulações entre brinquedoteca e universidade que atualiza tensões existentes no plano macro das relações entre crianças e cidades e (3) as assimetrias na interação entre adultos e crianças durante as oficinas.

Palavras-chave


Infância; Crianças; Brinquedotecas; Cidades; Oficinas

Texto completo:

HTML PDF


DOI: https://doi.org/10.12957/epp.2010.8913

Licença Creative Commons
A revista Estudos e Pesquisas em Psicologia esta licenciada sob uma Licença Creative Commons Atribuição-Não Comercial 3.0 Não Adaptada.

 

Universidade do Estado do Rio de Janeiro
Instituto de Psicologia
© Estudos e Pesquisas em Psicologia
Rua São Francisco Xavier, 524, bloco F, sala 10.005, 10° andar, CEP 20550-013, Rio de Janeiro-RJ, Brasil
Telefone: (21) 2334-0651

E-mail: revispsi@gmail.com