Considerações acerca do falo e sua incidência nas estruturas clínicas

Vera Pollo

Resumo


O presente texto discute o lugar e a função do falo no cerne da teoria psicanalítica: desde a “fase fálica do desenvolvimento da libido” (FREUD, 1923) até o “quadro lógico da sexuação” que divide os seres falantes em dois lados: “lado homem” ou gozo “todo fálico” e “lado mulher” ou gozo “não-todo fálico” (LACAN, 1972-73). Dois importantes autores da literatura universal, Antonin Artaud e Yukio Mishima, e um menino de treze anos, Miguel, são convocados pelo autor para ilustrar os seguintes temas: o falo zerado, na psicose, o desmentido perverso e a transformação do falo em significante do desejo, na neurose.

Palavras-chave


Falo; Castração; Sexuação; Gozo; Significante

Texto completo:

HTML PDF


DOI: https://doi.org/10.12957/epp.2010.8911

Licença Creative Commons
A revista Estudos e Pesquisas em Psicologia esta licenciada sob uma Licença Creative Commons Atribuição-Não Comercial 3.0 Não Adaptada.

 

Universidade do Estado do Rio de Janeiro
Instituto de Psicologia
© Estudos e Pesquisas em Psicologia
Rua São Francisco Xavier, 524, bloco F, sala 10.005, 10° andar, CEP 20550-013, Rio de Janeiro-RJ, Brasil
Telefone: (21) 2334-0651

E-mail: revispsi@gmail.com