Reflexões sobre Subjetividade: Quatro Narrativas e Algumas (In)Conclusões

Rodolfo Rodrigues de Souza

Resumo


O presente artigo tem por finalidade colocar em tensão diferentes concepções teóricas acerca da noção de subjetividade, refletindo sobre como cada olhar em relação a essa ideia influi nas práticas no campo da clínica psicológica. Estas noções são tematizadas por meio de quatro narrativas breves que evidenciam as ideias de seus autores sobre o assunto: Bruno Latour e a Teoria Ator-Rede; Nigel Thrift e a ideia de uma subjetividade espacializada; Sartre e suas reflexões sobre o sujeito na história; Mattijs van de Port e Annemarie Mol e a prática do comer. Em seguida, algumas proposições que comentam as narrativas apresentadas são esboçadas a título de (in)conclusão, conectando o pensar teórico com as práticas no campo da psicoterapia. O artigo, ao propor diálogo entre as proposições teóricas e metodológicas dos franceses Bruno Latour, sociólogo, e Jean-Paul Sartre, filósofo, em relação à subjetividade, pode ser lido como uma contribuição para a aproximação entre Teoria Ator-Rede e Fenomenologia como intencionada por Sartre.

Palavras-chave


subjetividade; psicoterapia; psicologia clínica; teoria ator-rede; fenomenologia

Texto completo:

HTML PDF


DOI: https://doi.org/10.12957/epp.2021.62733

Licença Creative Commons
A revista Estudos e Pesquisas em Psicologia esta licenciada sob uma Licença Creative Commons Atribuição-Não Comercial 3.0 Não Adaptada.

 

Universidade do Estado do Rio de Janeiro
Instituto de Psicologia
© Estudos e Pesquisas em Psicologia
Rua São Francisco Xavier, 524, bloco F, sala 10.005, 10° andar, CEP 20550-013, Rio de Janeiro-RJ, Brasil
Telefone: (21) 2334-0651

E-mail: revispsi@gmail.com