Contribuições da Psicanálise Existencial à Prática Clínica: Indicações Teóricas e Metodológicas

Fernando Gastal de Castro, André Diogo Resende, Mariana Gabriel

Resumo


Tem-se como objetivo desse artigo aportar contribuições teóricas e metodológicas da psicanálise existencial à prática clínica a partir do existencialismo e da fenomenologia de Jean-Paul Sartre. Em um primeiro momento, esboçaremos os contornos principais da psicanálise existencial em comparação com a perspectiva freudiana, focando nos conceitos de desejo, projeto, repressão e situação, sustentando a psicanálise existencial como uma clínica de situações. Em um momento seguinte, nos dedicamos à exposição de um caso clínico, com a finalidade de tornar mais concreta as contribuições metodológicas do método progressivo-regressivo e da reflexão purificadora. Buscaremos mostrar, nesse sentido, a pertinência de uma perspectiva metodológica que alcance o vivido singular, atravessado pelas múltiplas formas de violências do universo social produtoras de situações traumáticas, bem como as possibilidades de metamorfose do projeto existencial. Em nossas considerações finais, destacamos os desafios de uma prática clínica em se ocupar da dialética entre o universo social, no qual recrudescem formas de violência, e a singularidade do projeto existencial em luta contra suas determinações e desejoso por transformar-se.

Palavras-chave


psicanálise existencial; clínica de situações; existencialismo; fenomenologia

Texto completo:

HTML PDF


DOI: https://doi.org/10.12957/epp.2020.56664

Licença Creative Commons
A revista Estudos e Pesquisas em Psicologia esta licenciada sob uma Licença Creative Commons Atribuição-Não Comercial 3.0 Não Adaptada.

 

Universidade do Estado do Rio de Janeiro
Instituto de Psicologia
© Estudos e Pesquisas em Psicologia
Rua São Francisco Xavier, 524, bloco F, sala 10.005, 10° andar, CEP 20550-013, Rio de Janeiro-RJ, Brasil
Telefone: (21) 2334-0651

E-mail: revispsi@gmail.com