Relações entre Coparentalidade, Envolvimento Parental e Práticas Parentais de Pais e Mães de Famílias Binucleares

Fernanda Martins de Souza, Milena Carolina Fiorini, Maria Aparecida Crepaldi

Resumo


Este estudo investigou a relação entre coparentalidade, envolvimento parental e práticas parentais no contexto de pais e mães de famílias binucleares com crianças de três a seis anos. Foi realizado um levantamento de dados quantitativo e transversal com 45 participantes (24 mães e 21 pais). Foram constatados baixos escores na coparentalidade de pais e mães, principalmente nas dimensões acordo coparental, suporte e divisão do trabalho. Tanto pais quanto mães apresentaram bons níveis de envolvimento parental. Além disso, nem os baixos escores da coparentalidade e nem a alta sabotagem referida pelos pais influenciou o envolvimento paterno global. Baixos escores na divisão do trabalho da coparentalidade associaram-se ao maior envolvimento materno e ao exercício de práticas parentais negativas, tanto por parte de mães quanto de pais. Tais achados reforçam a necessidade de práticas de intervenção voltadas às famílias binucleares brasileiras, a fim de ajudá-las a promover relações saudáveis para a criança e para a família como um todo.

Palavras-chave


práticas de criação infantil; estilo parental; separação conjugal; coparentalidade; envolvimento parental

Texto completo:

HTML PDF


DOI: https://doi.org/10.12957/epp.2020.52584

Licença Creative Commons
A revista Estudos e Pesquisas em Psicologia esta licenciada sob uma Licença Creative Commons Atribuição-Não Comercial 3.0 Não Adaptada.

 

Universidade do Estado do Rio de Janeiro
Instituto de Psicologia
© Estudos e Pesquisas em Psicologia
Rua São Francisco Xavier, 524, bloco F, sala 10.005, 10° andar, CEP 20550-013, Rio de Janeiro-RJ, Brasil
Telefone: (21) 2334-0651

E-mail: revispsi@gmail.com