Mulheres em Situações de Violência e os Sentidos de Liberdade: Relato de Experiência em uma Política Pública

Luciana da Silva Oliveira

Resumo


Este artigo problematiza o conceito de liberdade no contexto de mulheres em situações de violência, indo além ou mesmo contrapondo a noção de liberdade vigente no âmbito da ideologia liberal. Para tanto, a partir da experiência da autora, como psicóloga em uma política pública para mulheres, busca-se articular essa discussão sobre liberdade com alguns aspectos das intervenções e práticas realizadas pelas/os profissionais, em especial psicólogas/os e assistentes sociais, junto às mulheres, abordando alguns riscos e desafios que perpassam esse fazer. As discussões indicam a possibilidade de se pensar em outros sentidos de liberdade, atravessados pelo tensionamento, pela dúvida, hesitação, incerteza e também pela relação com o/a outro/a, afastando a noção de liberdade como um poder fazer ilimitado.  No que diz respeito às intervenções realizadas nas políticas públicas para mulheres, conclui-se que a violência de gênero exige descolonizar e repensar práticas e modelos de intervenção hegemônicos, principalmente aqueles voltados para a individualidade.

Palavras-chave


mulheres em situações de violência; liberdade; políticas públicas

Texto completo:

HTML PDF


DOI: https://doi.org/10.12957/epp.2020.52581

Licença Creative Commons
A revista Estudos e Pesquisas em Psicologia esta licenciada sob uma Licença Creative Commons Atribuição-Não Comercial 3.0 Não Adaptada.

 

Universidade do Estado do Rio de Janeiro
Instituto de Psicologia
© Estudos e Pesquisas em Psicologia
Rua São Francisco Xavier, 524, bloco F, sala 10.005, 10° andar, CEP 20550-013, Rio de Janeiro-RJ, Brasil
Telefone: (21) 2334-0651

E-mail: revispsi@gmail.com