O Trabalho como Potencialidade Subjetiva na Experiência Migratória

Cristiano Dal Forno, Rita de Cássia dos Santos Canabarro, Mônica Medeiros Kother Macedo

Resumo


A busca por oportunidades de trabalho profissional que permitam aos sujeitos melhores condições de vida está diretamente relacionada às migrações internacionais. O trabalho profissional afigura-se como recurso potencializador de saúde psíquica ao promover a experiência de reconhecimento de capacidades do migrante, com efeitos em sua subjetividade. Por meio do método de pesquisa psicanalítica, este artigo discorre sobre o papel do trabalho profissional frente aos impasses da vivência migratória. Discutem-se os riscos à tendência de patologização social da migração e aborda-se a relação entre migração e potencialidades criativas da prática laboral. Entrevistou-se um migrante haitiano e se elegeu, também, como material de análise, o livro intitulado "Sonhos que mobilizam o imigrante haitiano: biografia de Renel Simon". No testemunho constituído a partir da análise dessas narrativas, elabora-se o modo particular com que cada um destes sujeitos tem enfrentado seus desafios no caminho do trabalho de migrar. Conclui-se que o trabalho profissional responde à dimensão identitária, aquilatando o valor de si mesmo, na medida em que possibilita ao sujeito sua inserção social e vivências intersubjetivas de reconhecimento pelas atividades realizadas.

Palavras-chave


migração; diáspora haitiana; subjetividade; psicanálise; trabalho

Texto completo:

HTML PDF


DOI: https://doi.org/10.12957/epp.2020.50836

Licença Creative Commons
A revista Estudos e Pesquisas em Psicologia esta licenciada sob uma Licença Creative Commons Atribuição-Não Comercial 3.0 Não Adaptada.

 

Universidade do Estado do Rio de Janeiro
Instituto de Psicologia
© Estudos e Pesquisas em Psicologia
Rua São Francisco Xavier, 524, bloco F, sala 10.005, 10° andar, CEP 20550-013, Rio de Janeiro-RJ, Brasil
Telefone: (21) 2334-0651

E-mail: revispsi@gmail.com