Da clínica à cultura: desdobramentos da pesquisa entre psicanálise e arte

Ana Lúcia Mandelli de Marsillac, Gerusa Morgana Bloss, Thiciara Mattiazzi

Resumo


Este artigo propõe resgatar fragmentos do método psicanalítico no seu encontro com o campo das artes. A partir das contribuições de Sigmund Freud, Jacques Lacan, Georges Didi-Huberman e outros analistas contemporâneos, refletirá sobre as interfaces do método psicanalítico que partem do campo da clínica e se desdobram sobre o campo da cultura. Além disso, sublinhará as proximidades do fazer do analista e do artista, em uma contribuição ao campo da ciência e produção de conhecimentos. Ao afastar-se dos princípios da linearidade, imparcialidade, generalização propostos pela ciência, os saberes psicanalíticos e artísticos permitem aprofundamento metapsicológico. O encontro entre psicanálise e arte nos aproxima das singularidades, das formas de dizer e de interpretar a cultura. O inconsciente como pedra angular, bem como os conceitos de significante, sujeito, sintoma e contingência são fundamentais nessa perspectiva metodológica, em suas análises clínicas e culturais. Eles contribuem na demarcação do método da psicanálise e dialogam com o campo das artes.

Palavras-chave


psicanálise; arte; cultura; saber e método

Texto completo:

HTML PDF


DOI: https://doi.org/10.12957/epp.2019.46918

Licença Creative Commons
A revista Estudos e Pesquisas em Psicologia esta licenciada sob uma Licença Creative Commons Atribuição-Não Comercial 3.0 Não Adaptada.

 

Universidade do Estado do Rio de Janeiro
Instituto de Psicologia
© Estudos e Pesquisas em Psicologia
Rua São Francisco Xavier, 524, bloco F, sala 10.005, 10° andar, CEP 20550-013, Rio de Janeiro-RJ, Brasil
Telefone: (21) 2334-0651

E-mail: revispsi@gmail.com