Del aula al laboratorio, tres mujeres científicas en la historia de la psicología argentina

María Andrea Piñeda

Resumo


O processo de integração de três mulheres argentinas na carreira científica é descrito a partir do momento em que eles obtiveram um doutorado em psicologia enquanto estavam trabalhando em um laboratório estrangeiro durante a década de 1960. A trajetória de Hermelinda Fogliatto, Rosalía Paiva e Ana María Insúa é retratada revelando sua chegada da educação ao campo da psicologia. Enquanto não havia tradição de promover o doutorado em psicologia na Argentina, eles conseguiram nesse objetivo sob a direção de Horacio Rimoldi no Laboratório Psicométrico da Universidade de Loyola (Chicago), que as encorajou em suas carreiras. Eles realizaram pesquisas sobre o processo de pensamento para resolução de problemas, com o modelo fatorial, consideradas como referência internacional. Trabalharam para organizações apoiadas pelas agências de Saúde e Educação dos Estados Unidos. Duas delas retornaram à Argentina onde trabalharam para o Consejo Nacional de Investigaciones Científicas y Técnicas. Discute-se o papel desta instituição na promoção da pesquisa psicológica bem como o lugar da pesquisa no treinamento e perfil dos psicólogos.

Palavras-chave


História da psicologia; mulheres; carreira científica; processo de pensamento; estudo fatorial

Texto completo:

HTML PDF


DOI: https://doi.org/10.12957/epp.2018.42237

Licença Creative Commons
A revista Estudos e Pesquisas em Psicologia esta licenciada sob uma Licença Creative Commons Atribuição-Não Comercial 3.0 Não Adaptada.

 

Universidade do Estado do Rio de Janeiro
Instituto de Psicologia
© Estudos e Pesquisas em Psicologia
Rua São Francisco Xavier, 524, bloco F, sala 10.005, 10° andar, CEP 20550-013, Rio de Janeiro-RJ, Brasil
Telefone: (21) 2334-0651

E-mail: revispsi@gmail.com