Amor, atitudes sexuais e índice de risco às DST em idosos

Luiz Antônio da Silva, Lucia Helena de Freitas Pinho França, José Augusto Evangelho Hernandez

Resumo


O crescente envelhecimento populacional e os temas relativos à velhice têm recebido destaque nas ciências sociais e da saúde. Este estudo investigou as possíveis relações entre as percepções do amor e das atitudes sexuais e o risco de contágio das Doenças Sexualmente Transmissíveis (DST) na velhice. Foram avaliados 352 idosos cognitivamente saudáveis do Estado do Rio de Janeiro, que responderam a Escala Triangular do Amor de Sternberg (ETAS), a Brief Sexual Attitudes Scale (BSAS) e um questionário sociodemográfico que também avaliou o grau de risco às DST nas relações sexuais dos idosos. A Análise Fatorial Exploratória revelou fraquezas psicométricas na versão adaptada da BSAS que invalidaram a maior parte dos itens e fatores, excetuando-se o fator Permissividade. Foram apurados níveis significamente maiores de Permissividade nos homens, em comparação com as mulheres. Os resultados revelaram que, quanto maior o nível global de Amor, maior o risco às DST para as mulheres, que adotam uma orientação do sexo mais relacional e centrada na pessoa; os homens adotaram orientação mais recreacional e centrada no corpo; quanto maior a Idade, menor o nível de Permissividade e menor será o risco às DST. Recomenda-se a replicação desta pesquisa em outras amostras de idosos.

Palavras-chave


amor; atitudes sexuais; doenças sexualmente transmissíveis; idosos

Texto completo:

HTML PDF


DOI: https://doi.org/10.12957/epp.2017.35121

Licença Creative Commons
A revista Estudos e Pesquisas em Psicologia esta licenciada sob uma Licença Creative Commons Atribuição-Não Comercial 3.0 Não Adaptada.

 

Universidade do Estado do Rio de Janeiro
Instituto de Psicologia
© Estudos e Pesquisas em Psicologia
Rua São Francisco Xavier, 524, bloco F, sala 10.005, 10° andar, CEP 20550-013, Rio de Janeiro-RJ, Brasil
Telefone: (21) 2334-0651

E-mail: revispsi@gmail.com