Encoprese e intervenção psicológica: revisão de literatura

Jéssica Aline Rovaris, Bárbara Trevizan Guerra, Sandra Leal Calais, Carmen Maria Bueno Neme

Resumo


Estudos têm demonstrado que a encoprese, transtorno relacionado ao controle esfincteriano, pode trazer impactos significativos para a vida do indivíduo, tais como baixa autoestima e déficit em interação social. Apesar de reconhecido o importante comprometimento que tal transtorno pode causar no desenvolvimento infantil, a literatura científica tem dado pouca importância ao tema, apresentando um baixo número de publicações sobre o assunto. Dessa forma, este artigo investigou as publicações nacionais em psicologia relacionadas à encoprese entre os anos de 1994 a 2013 nas bases de dados Lilacs e Scielo. Foram encontrados 231 artigos em toda a publicação para este assunto e período, e selecionados cinco para a análise, sendo aqueles que relatavam intervenção em encoprese. Desses artigos, quatro foram publicados na mesma revista e descreveram intervenções comportamentais, sendo três do mesmo autor. O quinto artigo era da abordagem psicanalítica. As pesquisas foram realizadas com crianças e adolescentes e as intervenções comportamentais tiveram êxito com remissão dos sintomas encopréticos. Os dados afirmam a deficiência em publicações na área e número restrito de pesquisadores investigando o tema, que é de relevância significativa.

Palavras-chave


encoprese; intervenção; desenvolvimento infantil

Texto completo:

HTML PDF


DOI: https://doi.org/10.12957/epp.2015.16061

Licença Creative Commons
A revista Estudos e Pesquisas em Psicologia esta licenciada sob uma Licença Creative Commons Atribuição-Não Comercial 3.0 Não Adaptada.

 

Universidade do Estado do Rio de Janeiro
Instituto de Psicologia
© Estudos e Pesquisas em Psicologia
Rua São Francisco Xavier, 524, bloco F, sala 10.005, 10° andar, CEP 20550-013, Rio de Janeiro-RJ, Brasil
Telefone: (21) 2334-0651

E-mail: revispsi@gmail.com