Da Psicanálise como uma ciência particular do singular

Wanderley Magno de Carvalho

Resumo


O artigo propõe considerarmos a psicanálise como uma ciência do singular; diferencia ciência do cientificismo contemporâneo, e define os termos “particular”, “ciência”, e “singular”. Em seguida, discute a concepção dominante de ciência e aplica, em oposição ao termo, assim unívoco, parte da teoria matemática dos conjuntos, apresentada pelo filósofo Alain Badiou. Propõe o reconhecimento da pluralidade das ciências, da qual infere que a psicanálise é uma ciência particular. Em seguida, aponta algumas passagens das obras de S. Freud e de J. Lacan que nos autorizam o entendimento da Psicanálise como uma ciência. Discute o tema da verdade na Psicanálise e em Badiou, e finaliza com a proposta de que o dispositivo do “passe” seja um procedimento de formalização da ciência psicanalítica.

Palavras-chave


Psicanálise; ciência; teoria dos conjuntos; singular

Texto completo:

HTML PDF


DOI: https://doi.org/10.12957/epp.2014.13895

Licença Creative Commons
A revista Estudos e Pesquisas em Psicologia esta licenciada sob uma Licença Creative Commons Atribuição-Não Comercial 3.0 Não Adaptada.

 

Universidade do Estado do Rio de Janeiro
Instituto de Psicologia
© Estudos e Pesquisas em Psicologia
Rua São Francisco Xavier, 524, bloco F, sala 10.005, 10° andar, CEP 20550-013, Rio de Janeiro-RJ, Brasil
Telefone: (21) 2334-0651

E-mail: revispsi@gmail.com