Uma bailarina pode ser negra? Crianças, bonecas e diferenças étnicas

Michelle Brugnera Cruz Cechin, Thaise da Silva

Resumo


No presente artigo problematizam-se os modos como a construção de estereótipos e sentimentos preconceituosos são produzidos pelas imagens dos brinquedos, focalizando os bonecos e bonecas. Discute-se o modo como essas imagens estereotipadas produzem efeitos nas subjetividades infantis, analisando os discursos infantis sobre diferenças étnicas. Como método, utilizou-se uma abordagem qualitativa de análise do discurso. A pesquisa foi realizada em uma escola pública da rede municipal de ensino de Porto Alegre (RS). Participaram da proposta vinte e seis crianças, com idades entre sete e oito anos em dez encontros semanais, realizados de março a maio de 2011. Utilizou-se um pequeno acervo de quatorze bonecos e bonecas diferentes, que desconstroem estereótipos. Os resultados apontam que a imagem destas bonecas favorece a desconstrução de preconceitos e estereótipos.

Palavras-chave


infância; subjetivação; etnia; brinquedos

Texto completo:

HTML PDF


DOI: https://doi.org/10.12957/epp.2014.12651

Licença Creative Commons
A revista Estudos e Pesquisas em Psicologia esta licenciada sob uma Licença Creative Commons Atribuição-Não Comercial 3.0 Não Adaptada.

 

Universidade do Estado do Rio de Janeiro
Instituto de Psicologia
© Estudos e Pesquisas em Psicologia
Rua São Francisco Xavier, 524, bloco F, sala 10.005, 10° andar, CEP 20550-013, Rio de Janeiro-RJ, Brasil
Telefone: (21) 2334-0651

E-mail: revispsi@gmail.com