A orientação da psicanálise em um serviço residencial terapêutico: a casa de aposentados - uma pequena construção

Cláudia Maria Generoso

Resumo


Partindo da experiência de uma moradia para psicóticos pertencente à rede de saúde mental de Betim-MG, interessa-nos expor e analisar nossa prática, a qual busca a contribuição da orientação lacaniana. A moradia é considerada pela Reforma Psiquiátrica como dispositivo de “suporte social”, tendo seu enfoque no ideal de inserção social e cidadania dos usuários. Para ir além desse ideal, nosso trabalho recorre aos princípios da psicanálise, dentre eles a ética do singular, para tentar nortear essa prática coletiva. Ao tomarmos como norte a psicanálise, consideramos que no cotidiano de uma moradia a problemática clínica é inseparável do contexto social do sujeito, sendo essa articulação propiciadora de condições favoráveis à construção de soluções próprias ao estilo de cada estrutura subjetiva, incentivando o caminho mais possível com o laço social. Assim, uma pragmática cotidiana, se tomada a partir do ponto de vista da clínica, poderá possibilitar arranjos mais possíveis com a vida.

Palavras-chave


Psicanálise aplicada; Residência terapêutica; Laço social

Texto completo:

PDF HTML


Licença Creative Commons
A revista Estudos e Pesquisas em Psicologia esta licenciada sob uma Licença Creative Commons Atribuição-Não Comercial 3.0 Não Adaptada.

 

Universidade do Estado do Rio de Janeiro
Instituto de Psicologia
© Estudos e Pesquisas em Psicologia
Rua São Francisco Xavier, 524, bloco F, sala 10.005, 10° andar, CEP 20550-013, Rio de Janeiro-RJ, Brasil
Telefone: (21) 2334-0651

E-mail: revispsi@gmail.com