MEMES NO APRENDIZADO DE LÍNGUAS: UMA PRÁTICA MULTILETRADA NA FORMAÇÃO DOCENTE PARA A JUSTIÇA SOCIAL

Janaina da Silva Cardoso, Alessandra Cristina Bittencourt Alcântara, Ana Beatriz Simões da Matta

Resumo


A opção argumentativa deste artigo surge das discussões sobre práticas pedagógicas de professores de línguas adicionais do grupo de pesquisa EAL - Ensino e Aprendizagem de Línguas: abordagens, metodologias e tecnologias (CNPq/UERJ) e reiteradas em leituras e estudos da disciplina de pós-graduação Processos de compreensão na era digital: a oralidade e a escrita. O foco da discussão é a crença de que a formação docente na contemporaneidade não deva ser vista como prescrição, mas como reflexão e atendimento das singularidades dos contextos educacionais de forma crítica. Sendo assim, o texto materializa o ensejo por discutir, atualizar e aproximar o conceito de multiletramentos à formação de professores. Para tanto, o texto é apresentado em quatro partes: considerações iniciais, que apresenta brevemente o conceito de multiletramentos; uma discussão sobre a formação docente, que busca a justiça social; um exemplo de aplicação de memes para o processo de ensino-aprendizagem de espanhol e finalmente, o texto é concluído com algumas considerações finais.

Palavras-chave


aprendizado de línguas; multiletramentos; memes

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.12957/periferia.2019.39390

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 3.0 Brasil  

Revista Periferia, uma publicação eletrônica do Programa de Pós-Graduação em Educação, Cultura e Comunicação em Periferias Urbanas – PPGECC/UERJ - ISSN: 1984-9540