MEMES EM SALA DE AULA: POSSIBILIDADES PARA A LEITURA DAS MÚLTIPLAS SEMIOSES

Helena Maria Ferreira, Marco Antônio Villarta-Neder, Geanne dos Santos Cabral Coe

Resumo


Com a disseminação das TDIC (Tecnologia digital de informação e comunicação), houve uma diversificação dos recursos semióticos para a organização dos textos que circulam na sociedade e, por consequência, a democratização de acesso a espaços de interação. Assim, considerando a configuração dos textos que exploram diversas linguagens simultaneamente, designou-se o seguinte problema: Que contribuições o gênero meme pode oferecer para a ampliação da proficiência de leitura e produção de textos por parte de alunos de Ensino Médio? Este artigo tem por objetivo socializar os resultados de uma pesquisa que analisou as potencialidades formativas advindas do trabalho com memes em sala de aula. A partir do trabalho empreendido, constatou-se que o gênero meme apresenta características substanciais para se pensar as multissemioses no ensino de língua portuguesa na escola e para a ressignificação de metodologias para a ampliação de habilidades relacionadas aos multiletramentos relacionados ao uso das diferentes linguagens. Dessa forma, é importante destacar que os memes se configuram como mecanismos que podem propiciar uma ressignificação do trabalho com textos, uma vez que as condições de produção podem ser revisitadas.

 


Palavras-chave


meme; multiletramentos; multissemiose

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.12957/periferia.2019.36936

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 3.0 Brasil  

Revista Periferia, uma publicação eletrônica do Programa de Pós-Graduação em Educação, Cultura e Comunicação em Periferias Urbanas – PPGECC/UERJ - ISSN: 1984-9540