A REPRESENTAÇÃO DO NEGRO NA LITERATURA INFANTIL BRASILEIRA

Jessica Oliveira Farias

Resumo


DOI:10.12957/periferia.2018.27988

O presente artigo apresenta uma pesquisa qualitativa, que teve como foco a análise da trajetória da representação das personagens negras na produção literária infantil brasileira, do início do século XX até os primeiros anos do século XXI. Tivemos como objetivo a busca por obras que valorizassem a identidade afro-brasileira para um trabalho com africaneidades e relações sociais nas séries iniciais do ensino fundamental. Percebemos que a literatura, como reflexo da sociedade, excluiu ou tratou os afrodescendentes de forma diferenciada ao longo de muitos anos na história do Brasil. Considerando os pressupostos de autores como Sousa (2001), Gouvêa (2005), Hunt (2010) e Silva e Silva (2011) para nortear nosso estudo, apresentamos resultados que demonstram como a representação do negro na Literatura infantil passou por fases como omissão; estereotipação; e deturpação da imagem, do caráter e inteligência. Além disso, analisamos algumas opiniões acerca da censura nos acervos literários escolares e citamos exemplos de textos que podem ser explorados em um trabalho pedagógico preocupado com as relações étnicas no ambiente escolar.


Palavras-chave


Literatura infantil; Identidade negra; Representações do negro na literatura

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.12957/periferia.2018.30495

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 3.0 Brasil  

Revista Periferia, uma publicação eletrônica do Programa de Pós-Graduação em Educação, Cultura e Comunicação em Periferias Urbanas – PPGECC/UERJ - ISSN: 1984-9540