O PERFIL HISTÓRICO-COGNITIVO DE ALUNOS SURDOS: ENTRE RELATOS EXPERIENCIAIS, EMOCIONAIS E DE APRENDIZAGEM NA FAMÍLIA E NA ESCOLA

Arlete Marinho Gonçalves

Resumo


DOI: 10.12957/periferia.2017.29407

O estudo objetivou analisar o perfil histórico-cognitivo de pessoas surdas, estudantes universitários, por meio dos relatos vivenciados por eles, na escola, na família e na comunidade. A metodologia adotada foi a pesquisa qualitativa do tipo analítica com cinco surdos, estudantes da universidade Federal do Pará e da Universidade Federal do Oeste do Pará. A técnica utilizada foi o questionário semi-aberto, com o apoio de intérpretes de Libras. Utilizou-se ainda o uso de mapa mental para desenvolver as análises das sinalizações dos sujeitos. Os resultados apontaram para um perfil dos sujeitos surdos construídos por meio de sentimentos (reações, relações, emoções negativas e positivas) e de formas de aprendizagem que se voltaram para o orgulho do uso da Língua de sinais, como identificação de uma cultura surda que percebe ao longo de suas experiências de vida familiar e escolar, que a Libras se manifesta como a melhor opção para o processo de aprendizagem na escola e nas interações entre surdo-surdo e surdo-ouvinte que conhece a língua de sinais. O contato com outros surdos e professores fluentes na Libras proporcionou aquisição e aprimoramento da língua de sinas, apontada como sua língua de instrução com aproximações do bilinguismo.


Palavras-chave


aluno surdo; perfil histórico-cognitivo; língua de sinais

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.12957/periferia.2017.29407

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 3.0 Brasil  

Revista Periferia, uma publicação eletrônica do Programa de Pós-Graduação em Educação, Cultura e Comunicação em Periferias Urbanas – PPGECC/UERJ - ISSN: 1984-9540