Raul Brandão: miserabilismo social, miserabilismo cósmico e transcendência pela linguagem poética

Manoel Francisco Guaranha, Álvaro Cardoso Gomes, Alzira Lobo de Arruda Campos

Resumo


Este artigo põe em perspectiva o romance de Raul Brandão (1867-1930), Os Pobres (1906), destacando a posição especial que esse autor ocupou no período complexo em que produziu, quando o engajamento realista, o desencanto decadentista e o anti-materialismo simbolista entrecruzaram-se. Para tanto, este trabalho tece considerações sobre o contexto histórico de Portugal; o conceito de pobreza, tema constante do autor; analisa como o miserabilismo social transfigura-se em miserabilismo cósmico; e também destaca a perspectiva apontada por meio de personagens-chave que se levantam da vala comum dos pobres: a ressignificação da linguagem como instrumento simbólico capaz de transcender as limitações impostas pelo contexto.


Palavras-chave


Raul Brandão; Os Pobres; Simbolismo Português; Pobreza e Literatura; Literatura e Interdisciplinaridade.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.12957/palimpsesto.2021.55896

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2021 Manoel Francisco Guaranha, Álvaro Cardoso Gomes, Alzira Lobo de Arruda Campos

 


ISSN 1809-3507 | DOI: 10.12957/palimpsesto


Palimpsesto é uma publicação do corpo discente do Programa de Pós-Graduação em Letras da UERJ:

UERJ >> Instituto de Letras >> Programa de Pós-graduação em Letras

 


Indexado nas seguintes bases:

 

Periodicos CAPES Latindex Find in a library with WorldCat MLA Livre MIAR ResearchBib BASE Logo UF Libraries University of Texas Libraries  Library Logo UCLA Library University of Wisconsin - Madison Libraries EZB


Licença Creative Commons

A Palimpsesto utiliza uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.