n. 21 (2019)

Trabalhadores livres e escravizados no Mundo Atlântico

Os estudos sobre os mundos do trabalho, produzidos no Brasil, têm passado por significativas transformações nos últimos anos. Uma das mais significativas diz respeito às investigações incluírem, a partir principalmente dos anos 2000, os escravizados como parte fundamental da história do trabalho brasileira. Nesse sentido, as pesquisas ressaltaram a importância de questionar a formação da classe trabalhadora no nosso país como sendo composta unicamente por operários livres, homens, brancos, em sua maioria de origem europeia e apontam à necessidade de também serem analisadas as relações entre trabalhadores livres e escravizados, bem como as formas de organização e manifestação destes.

Sumário

Expediente

 
PDF
1-6

Apresentação

Renata Figueiredo Moraes, Paulo Cruz Terra
PDF
7-10

Dossiê

Natália Batista Peçanha
PDF
11-28
Idalina Maria Almeida Freitas
PDF
29-49
Fábio Francisco de Almeida Castilho
PDF
50-70
Iamara da Silva Viana, Flávio dos Santos Gomes
PDF
71-96

Entrevistas

Renata Figueiredo Moraes, Paulo Cruz Terra
PDF
97-104

Artigos

Daniel Venâncio, Euclides Freitas
PDF
105-124
Sandro Aramis Richter Gomes
PDF
125-149
Francisco Gleison da Costa Monteiro, Amanda Fernanda Costa Leal
PDF
150-175
Nívia Pombo
PDF
176-191

Notas de Pesquisa

José Lúcio Nascimento Júnior
PDF
192-200