Comunicação, Música e Territorialidades: repensando a relevância das Cidades Musicais do Rio de Janeiro

Micael Herschmann, Cíntia Sanmartin Fernandes

Resumo


A partir dos estudos de caso das cidades de Rio das Ostras, Conservatória e Rio de Janeiro, vem se avaliando a importância das atividades musicais realizadas ao vivo e nos espaços públicos e privados pelos atores para a ressignificação destas urbes do Estado do Rio de Janeiro. Parte-se do pressuposto de que há uma cultura musical potente nestas localidades, praticada por diversos atores capaz de criar condições não só para a ampliação da sociabilidade, mas também para a ressignificação inovadora das dinâmicas dessas urbes. Um pouco distinto da noção de “cidades musicais” (como modalidade de “cidade criativa” tal como foi formulada pela UNESCO), emprega-se este conceito para designar localidades que possuem “territorialidades sônico-musicais” significativas que vêm promovendo expressivas modificações no imaginário e cotidiano urbano.


Palavras-chave


Comunicação; Cultura; Cidades Criativas; Música.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.12957/logos.2016.26124

Indexada em:Latindex . Sumarios.org . Univerciência. Doaj
Rua São Francisco Xavier, 524 -10 º Andar - Sala 10129 Bloco F - Maracanã - Rio de Janeiro - RJ
cep: 20550-013 - e-mail: logos@uerj.br