Projeto “Praia limpa é a minha praia”: uma contribuição para a preservação dos ambientes aquáticos

Fábio Vieira de Araujo, Melanie Lopes Silva, Rebeca Oliveira Castro, Alessandro Souza Sales, Marcela Faria Timbó, Fernanda Barros Perez

Resumo


DOI: 10.12957/interag.2014.13570

Poluição em ambientes costeiros e aquáticosé um problema mundial e vem exigindo açõespreventivas e corretivas para situá-lo em níveisaceitáveis, compatíveis com a preservação daqualidade de vida. A presença de poluentes nestesambientes, mais do que resultado de processostecnológicos deve-se a falta de educação.Um dos maiores exemplos disto é que todo anomilhares de toneladas de lixo, deixadas pelospróprios frequentadores, são retiradas das praiasno mundo. Utopia pensar em um mundo modernosem poluição, mas minimizar os seus efeitosé uma realidade possível. Pensando nisto, esteprojeto objetivou conscientizar a população doRio de Janeiro na importância de preservar nãosó os ambientes aquáticos, mas todos os ecossistemas.Dados de qualidade microbiológicadas águas e quantificação e caracterização dolixo marinho, junto a respostas de questionáriosaplicados aos frequentadores das praias estudadasem Niterói, RJ, deram suporte a diversasatividades de educação ambiental realizadas emescolas e universidades. Entendemos que contribuições,mesmo que locais, podem e fazem adiferença.


Palavras-chave


Lixo Marinho; Educação Ambiental; Ambientes Costeiros e Aquáticos; Rio de Janeiro.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.12957/interag.2014.13570

ISSN: 1519-8847 | E-ISSN: 2236-4447
Depext-SR3/UERJ