A representação do negro em Cogumelos de Outono (1972) de Gladstone Osório Mársico

Gláucia Elisa Zinani Rodrigues

Resumo


O artigo analisa a representação do negro na literatura pós-moderna, especificamente no romance, Cogumelos de Outono do escritor erechinense Gladstone Osório Mársico (1927-1976). O recorte do estudo é o ano de publicação da obra, em 1972, e a ambientação proposta pelo autor – mesmo quando faz uso de cidades fictícias - é Erechim, localizada no norte do Rio Grande do Sul. Erechim ex-distrito de Passo Fundo, foi emancipada em 30 de abril de 1918. Trata-se de uma região povoada por indígenas, caboclos, lusos, afrodescendentes e, posteriormente, por outros imigrantes. Neste ambiente o escritor e vereador erechinense se inspirou para elaboração de sua obra satírica ficcional. O estudo, em termos teóricos metodológicos, dialoga com a História Cultural e situa-se na fronteira entre a Literatura e a História. O cruzamento de fontes inclui revisão bibliográfica e utiliza para a análise o conceito de representações de Roger Chartier.


Palavras-chave


Representações; Negro; Cogumelos de Outono; Gladstone Osório Mársico

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.12957/intellectus.2021.57642

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Grupos de Pesquisa:

 
Financiamento:

Indexada em:

Open Academic Journals Index Dialnet
 
https://sumarios.org/revista/intell%C3%A8ctus
 

 https://scholar.google.com.br/citations?user=ruuQn9oAAAAJ&hl=pt-BR

 

Redes sociais:

https://www.instagram.com/intellectus.uerj/