Por uma história decolonial: a atuação das populações afrodescendentes em ambientes socioculturais de Porto Alegre (1872–1971)

Arilson dos Santos

Resumo


Este artigo tem como objetivo destacar a presença de afrodescendentes em espaços culturais e sociais da cidade de Porto Alegre, capital do estado do Rio Grande do Sul, entre os anos de 1872 e 1971. Esse período, que vai desde a fundação da Sociedade Beneficente Floresta Aurora (1872) até a criação do Grupo Palmares em Porto Alegre (1971), um coletivo que propôs o Dia da Consciência Negra, celebrado em 20 de novembro. Em 2021, essa data, proposta como referência simbólica, completa 50 anos desde sua primeira evocação. Portanto, nesta proposta, questiona-se se os representantes negros presentes nos espaços socioculturais de Porto Alegre resistiram à colonialidade e, em caso afirmativo, quais seriam suas proposições de ação para afirmar sua identidade e sua cultura. Por meio de bibliografia pertinente e de entrevista temática (ALBERTI, 2005) com um dos fundadores do Grupo Palmares, será analisada a atuação de sujeitos afrodescendentes no âmbito sociocultural da cidade.



Palavras-chave


Afrodescendentes; Decolonialidade; Grupo palmares

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.12957/intellectus.2021.56821

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Grupos de Pesquisa:

 
Financiamento:

Indexada em:

Open Academic Journals Index Dialnet
 
https://sumarios.org/revista/intell%C3%A8ctus
 

 https://scholar.google.com.br/citations?user=ruuQn9oAAAAJ&hl=pt-BR

 

Redes sociais:

https://www.instagram.com/intellectus.uerj/