EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E A EJA: UMA ANÁLISE DA OFERTA DO PROEJA NOS INSTITUTOS FEDERAIS NA BAHIA

Jocemara Nascimento Santos, José Humberto da Silva

Resumo


A Educação Profissional e a Educação de Jovens e Adultos são o “chão” que sustenta o Proeja. A EJA se configura enquanto campo de estudo fértil e acolhe um público composto em parte por trabalhadores que, impulsionados pela necessidade de sobrevivência, não completaram os estudos no período previsto como o regular. A Educação Profissional, após o Decreto 5.151/04, ganhou fôlego ao ser pensada em conjunto com o Ensino Médio, para atender a uma demanda urgente que é a formação da classe trabalhadora, pois estes mesmos trabalhadores (jovens e adultos) necessitam de uma formação intelectual que vem sendo discutida há décadas. A relação dos sujeitos desta modalidade de ensino com o mundo do trabalho e a proeminente necessidade de oferecer à classe trabalhadora uma formação unitária (unindo ensino técnico e propedêutico) direcionaram o objetivo deste artigo que pretende analisar a formação profissional ofertada na Bahia pelos Institutos Federais (IF Baiano e IFBA), mediante o Programa Nacional de Integração da Educação Profissional com a Educação Básica na modalidade de Educação de Jovens e Adultos (PROEJA). Pretende-se, a partir de uma revisão de literatura e análise documental, retomar os conceitos do ensino integrado e da educação profissional, além disso, consultar fontes, como os editais lançados pelo IFBAIANO e IFBA nos últimos anos (2015-2019) que descrevem cursos ofertados e número de vagas, por fim analisaremos também a situação atual dessa oferta no presente ano.


Palavras-chave


Educação Profissional; Rede federal de ensino; PROEJA

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.12957/e-mosaicos.2020.51266

Direitos autorais 2020 Jocemara Nascimento Santos, José Humberto da Silva


ISSN: 2316-9303 | Indexada em: