O MUSEU COMO ESPAÇO DE MEMÓRIA: O ESPAÇO MUSEOLÓGICO E O ENSINO DE HISTÓRIA

Daniel Syllas Pereira Sousa, Macelo Bezerra de Morais, Paulo Augusto Tamanini

Resumo


Com este trabalho temos o objetivo de discutir os espaços museológicos como locais de conhecimento, memória e História e as possibilidades que estes oferecem para o ensino e aprendizagem em História. Para isso, buscamos na Casa Museu Máximo Rebouças, localizado no município de Areia Branca/RN, uma proposta de estudo analítico sobre a temática da história, da memória e do patrimônio cultural com a linguagem museológica. Traçamos uma discussão sobre os vínculos que os sujeitos estabelecem com os espaços vivenciados e as relações identitárias e históricas construídas, bem como sobre os elos entre o ensino de História, a memória e o patrimônio cultural. Por meio de um estudo analítico entre as linguagens utilizadas pelos museus-memória e museus-narrativa, e ainda pela diferença entre história e memória, defendemos a Casa Museu Máximo Rebouças como um espaço museológico. Concluímos que os espaços museológicos são espaços nos quais os sujeitos estabelecem conexões com os acontecimentos históricos, sendo ambientes necessários, apropriados e de grandes possibilidades para a aprendizagem em História, mas ainda pouco explorados no ensino.


Palavras-chave


História; Memória; Museu; Patrimônio cultural; Ensino de História.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.12957/e-mosaicos.2019.39148


ISSN: 2316-9303 | Indexada em: