JUVENTUDES EM TRÂNSITO: NOTAS ETNOGRÁFICAS SOBRE A RELAÇÃO DOS ESTUDANTES DO ENSINO MÉDIO COM O CONHECIMENTO ESCOLAR.

Luís Paulo Cruz Borges

Resumo


A relação dos jovens estudantes do Ensino Médio com o conhecimento escolar é objeto de estudo do presente artigo. Pauta-se na abordagem teórico-metodológica etnográfica, situada na fronteira entre a antropologia e a educação. Assim, foram utilizados o caderno de campo, notas etnográficas, descrição densa, entrevistas, fotografias, observação participante e produções textuais como formas de apreender um recorte da realidade social. Articulam-se as categorias conhecimento escolar e juventudes privilegiando uma abordagem pós-crítica e pós-colonial para pensar a escola e seus sujeitos. Questiona-se como jovens estudantes do Ensino Médio de uma escola pública da rede estadual do Rio de Janeiro se relacionam com o conhecimento socializado pela escola?  Opera-se numa lógica de que há uma polifonia nas vozes discentes que podem ser escutadas como forma de uma produção curricular pensando os dissensos como caminhos possíveis a partir da ideia de juventudes em trânsito abordando a relação dos jovens com seus processos educacionais e suas imagens. À guisa de conclusão, defende-se a ideia de que o conhecimento escolar, entendido como atos de significação, é uma dimensão criadora dos modos de subjetivação e diferença, capaz de permitir a emergência dos trânsitos juvenis presentes na escola de hoje. 


Palavras-chave


conhecimento escolar– escola contemporânea – etnografia –juventude

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.12957/e-mosaicos.2018.34444


ISSN: 2316-9303 | Indexada em: