ESTRATÉGIA DE ENSINO-APRENDIZAGEM À DISTÂNCIA SOBRE TERAPIA NUTRICIONAL PARA CURSOS DE GRADUAÇÃO NA ÁREA DE SAÚDE

Andreia Araujo Lima Torres, Kelb Bousquet-Santos

Resumo


Todos os profissionais da equipe multiprofissional de terapia nutricional necessitam de conhecimentos sobre nutrição enteral e parenteral, sem os quais a atenção às necessidades alimentares especiais de pacientes fica comprometida. No Campus de Ceilândia da Universidade de Brasília, uma única disciplina de nutrição é disponibilizada aos estudantes dos cursos de Enfermagem, Farmácia, Fisioterapia, Saúde Coletiva e Terapia Ocupacional. A disciplina engloba um conjunto de temas, sendo que o tópico “Terapia Nutricional” é considerado o de maior complexidade, por parte dos estudantes. Visando melhorar a compreensão dos mesmos sobre o assunto, foram criadas, editadas e disponibilizadas, por meio de uma ambiente virtual de aprendizagem (moodle), duas videoaulas que serviram de preparação para as aulas presenciais. Este estudo buscou avaliar o efeito desse material sobre a aprendizagem e a satisfação desses estudantes. Os vídeos foram produzidos considerando-se os princípios da teoria cognitiva. A escala de satisfação foi disponibilizada para os estudantes através do moodle. A aplicação de testes para avaliação da aprendizagem aconteceu de forma presencial. Foi avaliada a relação entre o número de acessos dos estudantes às videoaulas e seu desempenho nas avaliações e na nota final da disciplina, por meio da correlação de Spearman. Verificou-se alto grau de satisfação dos estudantes com o material. Observou-se também que quanto mais vezes os estudantes assistiram às videoaulas, maiores foram as notas nas avaliações. Os vídeos mostraram-se adequados para o ensino do conteúdo proposto. Fazem-se necessários novos estudos para avaliação do custo-benefício desta estratégia em profissionais de saúde atuantes no Sistema Único de Saúde-SUS.

DOI: http://dx.doi.org/10.12957/demetra.2014.9982

 


Palavras-chave


Formação de Recursos Humanos, Ensino, Videoaulas, Objetos de aprendizagem, Desenho Instrucional

Texto completo:

PDF PDF (English)

Referências


– Frenk J, Chen L, Butta Z, Cohen J et al. Health professionals for a new century: transforming education to strengthen health systems in an interdependent world. The Lancet 2010; 376(9756): 1923-1958.

– WHO. The World Health Report 2006 - working together for health. 2013. Disponível em: http://www.who.int/whr/2006/en/

– Haddad AE, Morita MC, Pierantoni CR, Brenelli SL, Passarella T, Campos FE. Formação de profissionais de saúde no Brasil: uma análise do período de 1991 a 2008. Revista de Saúde Pública 2010; 44(3): 383-393.

– Barbosa MA, Brasil VV, Sousa ALL, Monego ET. Refletindo sobre o desafio da formação do profissional de saúde. Revista Brasileira de Enfermagem 2003; 56(5): 574-576.

– Pierantoni CR, Varella TC, Santos MR, França T, Garcia AC. Gestão do trabaho e da educação em saúde: recursos humanos em duas décadas do SUS. Physis. Revista de saúde coletiva 2008; 18(4): 685-704.

- Costa, R.K.S & Miranda, F.A.N. Formação Profissional no SUS: oportunidades de mudanças na perspectiva da estratégia de saúde da família. Trabalho, Educação e Saúde 2009; 6(3): 503-17.

- Vieira ALSV,. Amâncio Filho A. Ministério da Saúde: a dinâmica das graduações em saúde no Brasil: subsídios para uma política de recursos humanos, p. 17-23. 2006.

- Mendes EV. As redes de atenção à saúde. Brasília: Organização Pan-Americana de Saúde. 549p. 2011. Disponível em: http://apsredes.org/site2012/wp-content/uploads/2012/03/Redes-de-Atencao-mendes2.pdf

- Mendes EV. O cuidado das condições crônicas na atenção primária à saúde: o imperativo da consolidação da estratégia da saúde da família. Brasília: Organização Pan-Americana de Saúde. 512p. 2012. Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/cuidado_condicoes_atencao_primaria_saude.pdf

- Haddad J, Roschke M, Davini M. Educación permanente de personal de salud. Washington: OPS/OMS, 1994.

- Ceccim RB, Feuerwerker L. O Quadrilátero da Formação para a Área da Saúde: Ensino, Gestão, Atenção e Controle Social. PHYSIS Revista de saúde coletiva 2004; 14(1): 41- 65.

– Oliveira MAN. Educação à Distância como estratégia para a educação permanente em saúde: possibilidades e desafios. Revista Brasileira de Enfermagem 2007; 60(5): 585-589.

- Resolução RDC ANVISA nº. 63, 2000 jul 6. Aprova o Regulamento Técnico para fixar os requisitos mínimos exigidos para a Terapia de Nutrição Enteral. Pub DO [Jul 6 2000].

- Brasil. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Acesso à Internet e posse de telefone móvel celular para uso pessoal. Brasília; 2005.

- Terrion JL, Aceti V. Perceptions of the effects of clicker technology on student learning and engagement: a study of freshmen Chemistry students. Res Learning Technology. 2012; 20: 16150.

- Garrison JA, Kochi JK. Web-based distance continuing education: a new way of thinking for students and instructors. Bull Med Libr Assoc. 2000; 88(3): 211-217.

– Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Política Nacional de Alimentação e Nutrição. Brasília: Ministério da Saúde, 2012. 83p.

- Wong G, Grenhalgh T, Pawson R. Internet-based medical education: a realist review of what works, for whom and in what circunstances. BMC Medical Education 2010; 10(12):1-11.

– Camargo LDVL, Garofalo S, Coura-Sobrinho J. Migrações da aula presencial para a videoaula: uma análise da alteração de mídium. Quaesto. 2011; 13(2):79-91.

– Abbad GS, Zerbini T, Borges-Ferreira MF. Medidas de reação a cursos presenciais. In: Medidas de avaliação em treinamento, desenvolvimento e educação: ferramentas para gestão de pessoas. Porto Alegre: Artmed; 2012, p. 78-90.

– Whittingham JRD, Ruiter RAC, Castermans D, Huiberts A, Kok G. Designing effective health education materials: experimental pre-testing of a theory-based brochure to increase knowledge. Health Education Research 2008; 23(3): 414-426.

- Abdous M, Yoshimura M. Learner outcomes ans satisfaction: A comparison of live vídeo-streamed instruction, satellite broadcast instruction, and face-to-face instruction. Computers & Education 2010; 55: 733-741.

– Sena EF. As videoaulas de um curso a distância: obstáculos didáticos/pedagógicos e suas implicações na aprendizagem do aluno. Anais do Simpósio Internacional de Educação a Distância. São Carlos: Universidade Federal de São Carlos; 2012. 13p.




DOI: https://doi.org/10.12957/demetra.2014.9982

e-ISSN: 2238-913X


Esta revista está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.