ALTERAÇÕES NA IDENTIDADE SOCIAL DO OBESO: DO ESTIGMA AO FAT PRIDE

Alden dos Santos Neves, André Luís de Oliveira Mendonça

Resumo


O fenômeno da transição nutricional trouxe como principal consequência uma alta prevalência de sobrepeso / obesidade na população mundial. Além dos reflexos para a saúde, a obesidade traz alterações sociais importantes aos portadores desta condição. A despeito do crescimento epidêmico da obesidade, pode-se perceber o surgimento de uma sociedade lipofóbica, que transforma os obesos em portadores de um estigma, pela associação da obesidade com uma série de valores morais negativos. O surgimento do movimento fat pride caracteriza uma reação do obeso ao estigma da obesidade, e a medicalização da obesidade aponta para a cirurgia bariátrica como tecnologia médica capaz de transformar a condição do indivíduo obeso. O presente artigo justifica-se pela necessidade de compreender as transformações na identidade social do obeso a partir de estudos de autores que abordam o problema da obesidade sob o referencial da Saúde Coletiva, tendo como objetivo geral compreender as transformações da identidade social do obeso, e como objetivos específicos: analisar a obesidade enquanto um estigma social e descrever brevemente a medicalização da obesidade e os fenômenos envolvidos no surgimento do fat pride. O surgimento deste movimento no Brasil difere do movimento original americano, embasando-se no apelo midiático e tendendo a criar um movimento comercial.

DOI: http://dx.doi.org/10.12957/demetra.2014.9461

 

 


Palavras-chave


Obesidade;transição nutricional;estigma social;medicalização

Texto completo:

PDF PDF (English)


DOI: https://doi.org/10.12957/demetra.2014.9461

e-ISSN: 2238-913X


Esta revista está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.