O uso terapêutico dos alimentos em meados do século XIX

Letícia Pereira Leão, Nadja Maria Gomes Murta

Resumo


Introdução: No decorrer do século XIX surgiram as primeiras informações a respeito das substâncias químicas contidas nos alimentos. A partir dessas descobertas, a higiene alimentar como meio terapêutico estabeleceu critérios para a prescrição de azote (nitrogênio) e carbone (carbono), bem como recomendações alimentares nos diferentes ciclos de vida e estados de convalescença. Objetivos: Este trabalhou buscou analisar como e para que fins eram prescritos alguns alimentos cuja composição química era caracterizada pela presença do azote (nitrogênio) e carbone (carbono). Método: Foram utilizados como fonte de pesquisa os cadernos de visitas (prontuários) de embarcações encontrados no Arquivo Histórico da Marinha Portuguesa, os tratados médicos do período e publicações referentes à história da ciência e nutrição. Resultados e discussão: Nos cadernos de visitas consultados (anos 1859 e1863), as refeições à base de alimentos de origem animal (ricos em azote), como os caldos de carne e de galinha, foram as mais prescritas aos doentes, pois se pautavam nos princípios da dieta fibrinosa, que promovia a reparação tecidual e crescimento da matéria orgânica. Considerações finais: Ao longo dos dois últimos séculos, muitas teorias a respeito da função dos alimentos se modificaram, mas parte significativa de seus pressupostos foram constituídos no decorrer do século XIX.


Palavras-chave


Ciência da Nutrição. Recomendações Nutricionais. Dietoterapia. História

Texto completo:

PDF PDF (English)

Referências


Santos KMO. O desenvolvimento histórico da ciência da nutrição em relação ao de outras ciências. São Paulo: Centro de Lógica, Epistemologia e História da Ciência; 1989.

Lemos, AM. Noções elementares de anatomia, physiologia humana, hygiene e primeiros socorros a prestar nos accidentes mais vulgares. Lisboa: Ferreira & Oliveira Livreiros; 1905.

Couto LMS. Alimentação no Brasil Imperial. São Paulo: Educ; 2015.

Murta NMG. O acaso dos casos: estudos sobre alimentação-nutrição, cultura e história. (Tese). São Paulo: Pontifica Universidade Católica de São Paulo; 2013.

Franco FM. Elementos de higyene ou dictames theoreticos, e práticos para conservar a saude, e prolongar a vida. Lisboa: Natypografia da Academia; 1814.

Fonssagrives JB. Tratado de hygiene naval ou da influencia das condições physicas e moraes em que está o homem do mar. Lisboa: Imprensa Nacional; 1862.

Fonssagrives JB. Higiene alimentícia de los enfermos, de los convalescientes, de los valetudinários: ó el régimen considerado como médio terapêutico. Madri: Imprensa Española; 1865.

Ferreira AM. Alimentação como meio therapeutico. (Dissertação). Porto: Eschola Medico-Cirurgica; 1870.

Esteves A. Estar enfermo e ser pobre: assistência à saúde no Alto Minho de oitocentos. Cic. de vid, inst e est fam de sob. 2005:668-669.

Maia, José Antônio. Caderno de Visita da Corveta D. Esphania. Arquivo Histórico da Marinha Portuguesa. Lisboa. Comedorias, Gêneros e Rações. Caixa 112, pasta anos 1854 a 1869. (Arquivo Geral da Marinha). Ma. A Jun. 1859.

Dias, José Maria de Mello. Caderno de Visita da Enfermaria da Barca Martinho de Mello. Arquivo Histórico da Marinha Portuguesa. Lisboa. Comedorias, Gêneros e Rações. Caixa 112, pasta anos 1854 a 1869. (Arquivo Geral da Marinha). Jun. a set. 1863.

Maia JA. Estudos sobre hygiene, administração e legislação naval. Lisboa: Tipographia Universal; 1859.

Rodrigues E. Discurso Médico e práticas alimentares no Hospital Real de Moçambique no início do século XIX. Hist, Cien e Saude. 2014;21(2):609-627. https://doi.org/10.1590/S0104-59702014000200009.

Lopes MA, Os hospitais de Coimbra e a alimentação dos seus enfermos e funcionários (meados do séc. XVIII – meados do séc. XIX). Hist da saúde e das doen. 2012:147-164.

Soares C, Macedo, IC. Representações sociais, histórica e

cultural da canja de galinha: estudo de fontes históricas e fontes

orais de uma população de idosos. Demetra. 2016;11(1):27-46. https://doi.org/10.12957/demetra.2016.16717.

Silva JX. Breve tratado de hygiene militar e naval. Lisboa: Natypografia da Academia R. das Sciencias; 1819.




DOI: https://doi.org/10.12957/demetra.2021.55945

e-ISSN: 2238-913X


Esta revista está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.