Alimentos geneticamente modificados: construção e validação de um questionário para averiguar o conhecimento, a opinião e a formação de médicos e nutricionistas

Isabella Ribeiro de Figueiredo Vieira, Teresa Brandão, Elisabete Pinto, Margarida Silva

Resumo


Introdução: Alimentos geneticamente modificados (AGM) entraram recentemente no mercado europeu. Essa decisão política gerou polêmica social devido ao debate sobre os riscos reais à saúde e ao meio ambiente. Diante dessa realidade, profissionais da saúde, como médicos e nutricionistas, desempenham papel fundamental na decodificação dessa nova tecnologia de alimentos. Portanto, é relevante um diagnóstico da realidade pessoal, profissional e das necessidades de treinamento desses especialistas em relação ao AGM. Objetivos: Construir e validar um questionário para caracterizar as necessidades de conhecimento, opinião e treinamento de nutricionistas e médicos sobre alimentos geneticamente modificados. Método: o questionário foi implementado on-line em 2016, com um total de 526 respondentes. Foram aplicadas estratégias de validação por meio de análise semântica, análise de consistência interna e análise fatorial exploratória. Resultados e Discussão: O questionário foi validado, apresentando confiabilidade baseada no coeficiente alfa de Cronbach de 0,76. Foram extraídos 17 fatores, organizados em quatro temas: opinião, formação, conhecimento e realidade pessoal / profissional. Este artigo destaca a importância dos procedimentos estatísticos na validação de questionários. Conclusão: O questionário pode ser implementado como uma ferramenta de diagnóstico para verificar a realidade dos profissionais de saúde (médicos e nutricionistas, em particular) que lidam com os desafios da introdução de alimentos transgênicos na dieta alimentar humana.


Palavras-chave


Questionário. Alimentos Geneticamente Modificados. Médicos. Nutricionistas.

Texto completo:

PDF PDF (English)


DOI: https://doi.org/10.12957/demetra.2020.42178