INFLUÊNCIA DA MÍDIA SOBRE A APARÊNCIA DE PROFESSORAS DE SÃO PAULO

Mariana Gori, Renata Furlan Viebig

Resumo


Objetivo: Avaliar as influências da mídia sobre a aparência de professoras da Educação Infantil e do Ensino Fundamental I de escolas privadas do município de São Paulo. Metodologia: Estudo transversal realizado com professoras de 4 colégios paulistanos. As docentes foram submetidas a avaliação antropométrica e responderam ao “Questionário de Atitudes Socioculturais” em relação à aparência (SATAQ-3) para verificar a influência da mídia. Resultados: Participaram 55 professoras com idade média de 37,49 anos. A maioria das participantes (76,3%) foram classificadas nas classes sociais A e B. O Índice de Massa Corporal médio encontrado foi 26,6Kg/m2 e a média de percentual de gordura corporal foi de 41,9%. As professoras mais influenciadas pela mídia eram mais velhas, de maior classe socioeconômica e com maior percentual de gordura corporal, porém, somente esta última associação se mostrou estatisticamente significativa. Foi observado que quanto maior o tempo de profissão menor o escore no SATAQ-3 (p=0,030). Conclusões: As docentes com maior pontuação no questionário tiveram maior peso corporal e percentual de gordura corporal mais elevado. Além disso, as docentes mais experientes sofriam menos influencia da mídia.

DOI: 10.12957/demetra.2018.32667


Palavras-chave


Mídia. Influência. Professores. Aparência.



DOI: https://doi.org/10.12957/demetra.2018.32667

e-ISSN: 2238-913X


Esta revista está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.