FONTES PARA HISTÓRIA DA ALIMENTAÇÃO E PATRIMÔNIO ALIMENTAR: A COLUNA “VAMOS PREPARAR OS QUITUTES”, NO JORNAL DAS MOÇAS, NOS ANOS 1950

Maria Cecilia Barreto Amorim Pilla

Resumo


Desde o final da Primeira Guerra Mundial, ganhou força no Brasil a ideia de que a mulher deveria dedicar-se exclusivamente às tarefas domésticas, incluindo aí os papéis de dona de casa e mãe. Essa mulher deveria dedicar-se integralmente aos cuidados da casa e dos filhos. Embora não tenha sido adotado por toda a população, o ideal de família estimulado pelas classes dominantes passou a ser parâmetro. Ora, as matérias relativas ao ambiente privado suscitam ponderações a respeito de temas como gênero, classes sociais, vestuário, moradia e alimento. Esses aspectos se dão no espaço doméstico, onde, na primeira metade do século XX, a mulher tinha maior responsabilidade e funções. Elegeu-se como proposta para este trabalho a apreciação de fontes históricas, as colunas “Vamos preparar os quitutes” contidas na revista feminina Jornal das Moças, na década de 1950, período em que o padrão familiar era o do “doce lar”, em que os membros da família se encontravam sob a proteção da casa, espaço em que a mulher deveria reinar soberana como dona de casa e mãe. O objetivo foi demonstrar a potencialidade das fontes no sentido de instigar reflexões sobre a construção histórico-cultural de padrões alimentares bem como entender esses padrões em relação ao papel feminino nesse período.

DOI: 10.12957/demetra.2015.15576

 

 


Palavras-chave


história da alimentação - patrimônio alimentar – fontes históricas

Texto completo:

PDF PDF (English)


DOI: https://doi.org/10.12957/demetra.2015.15576

e-ISSN: 2238-913X


Esta revista está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.