OLHAR PARA O FUTURO PELA HISTÓRIA: SOBRE A IMPLANTAÇÃO DA LÍNGUA PORTUGUESA NO BRASIL

Leonardo Ferreira Kaltner, Viviane Teixeira

Resumo


O Plano de Ação da Praia (2021), que surgiu no âmbito da XIII Conferência de Chefes de Estado e de Governo da CPLP, realizado em Luanda, Angola, apresenta entre seus tópicos o fomento às “políticas públicas para a promoção da leitura”. Nesse sentido, debatemos, no presente artigo, como documentos históricos sobre a implantação da língua portuguesa no Brasil, por exemplo, podem servir como elementos de cooperação intercultural, para a promoção de uma interpretação historiográfica comum aos países do bloco multicultural. Apresentamos, para esse fim, o campo teórico da Linguística Missionária, linha de pesquisas específica da disciplina Historiografia (da) Linguística (HL), e interdisciplinar à Ecolinguística, que interpreta documentos da intelectualidade missionária do período colonial da América portuguesa. Como exemplo da interpretação desse fundo documental, selecionamos o relato da Carta de Pero Vaz de Caminha, de 1500, sobre a primeira missa na então chamada Ilha da Vera Cruz. Demonstramos como a interpretação desse corpus textual, pela HL, pode facultar o seu emprego, por exemplo, na promoção da releitura de documentos históricos comuns ao Brasil e à Europa, em uma perspectiva decolonial.

Palavras-chave


Historiografia Linguística; Linguística Missionária; Língua Portuguesa; Ecologia do Contato de Línguas; Carta de Pero Vaz de Caminha

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.12957/seminal.2022.64593

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN: 1414-4298 | e-ISSN: 1806-9142

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.