O PORTUGUÊS COMO LÍNGUA PLURICÊNTRICA E AS ATITUDES LINGUÍSTICAS DE FALANTES EM TIMOR-LESTE

Davi Albuquerque

Resumo


Este trabalho aborda as atitudes linguísticas dos falantes leste-timorenses diante do português como uma língua pluricêntrica. Para tanto, são discutidos os conceitos de pluricentrismo, variedades não dominantes (em relação as variedades linguísticas do português em diferentes estágios de formação) e de atitudes linguísticas. Aplicamos três métodos distintos (tratamento social, abordagem direta e abordagem indireta) para quantificar e avaliar as atitudes dos falantes de Timor-Leste em relação à presença da língua portuguesa em seu país; à importância das línguas locais; ao Português Brasileiro (PB); e às demais variedades do português, principalmente variedades africanas e o português falado em Timor-Leste. Os resultados alcançados é que os falantes leste-timorenses apresentam uma atitude romântica convergente, considerando como português apenas a norma europeia, associando-a a valores positivos (bom, bonito, correto etc.), enquanto as outras variedades, incluindo até mesmo o PB e o português falado por eles, são encaradas negativamente.   


Palavras-chave


Língua Portuguesa. Pluricentrismo. Atitudes linguísticas. Timor-Leste.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.12957/seminal.2022.64435

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN: 1414-4298 | e-ISSN: 1806-9142

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.