REPRESENTAÇÕES DA INFÂNCIA EM NARRATIVAS DE MIA COUTO: A CRIANÇA ENTRE A FICÇÃO E A HISTÓRIA

Eloísa Porto C. Allevato Braem, Lina Paula Jasbick Tonack Beckmann

Resumo


O presente artigo analisa algumas representações da infância em narrativas literárias de Mia Couto, em diálogo com a História. Nessa tarefa, partimos de definições da infância elaboradas por estudiosos do assunto, como Ariès (1981), Foucault (1995), Heloiza Castro (2019), Betina Hillesheim e Neuza Guareschi (2007). Consideramos também tratados internacionais, ratificados por Moçambique, e estudos sobre a infância moçambicana, como os de Celestino e Pastore (2018), Pastore e Barros (2016). Além disso, tecemos alguns diálogos com a fortuna crítica à obra coutiana, que conta com nomes como os de Francisco Noa (2019), Moema Marques (2012) e Petar Petrov (2014), entre outros. Com isso, esperamos contribuir para uma mais ampla compreensão da situação das crianças representadas na narrativa literária do escritor moçambicano Mia Couto.


Palavras-chave


Infância. Criança. Literatura Moçambicana. Mia Couto.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.12957/seminal.2022.60396

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN: 1414-4298 | e-ISSN: 1806-9142

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.