A vestal e o imane: desdobramentos literários do feminino narcísico e confessional na obra e na biografia de Florbela Espanca, escritora modernista portuguesa.

Zilda de Oliveira Freitas

Resumo


Este artigo apresenta uma análise crítica e reflexiva sobre a produção literária e a biografia da escritora portuguesa Florbela Espanca, a partir da representação do feminino como uma vestal e da heroicização do masculino como um imane, no contexto modernista europeu, considerando as reminiscências do espectro mítico narcísico. Fundamenta-se teoricamente o presente texto em ponderações sobre o modernismo lusitano, publicadas por estudiosos como A. Amora e D. Vila Maior, os mitólogos M. Eliade e T. Bulfinch, além de pesquisadores e biógrafos, como A. Bessa Luís, Maria L. Dal Farra, N. Correia e outros leitores da obra florbeliana.


Palavras-chave


PALAVRAS-CHAVE: Modernismo; Literatura; Narcisismo; Florbela Espanca.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.12957/seminal.2021.58357

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN: 1414-4298 | e-ISSN: 1806-9142

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.