A CONDIÇÃO FEMININA DA MULHER NEGRA EM “MARIA”, DE CONCEIÇÃO EVARISTO, E “NO SEU PESCOÇO”, DE CHIMAMANDA NGOZI ADICHIE

Lorrany Andrade da Cruz, Flávio Pereira Camargo

Resumo


Resumo: Neste artigo temos como objetivo investigar como mulheres negras de diferentes diásporas africanas experienciam e manifestam (no sentido de manifesto, denúncia), em seu tempo-lugar, opressões estruturais relacionadas ao colonialismo, tais como o racismo, o sexismo e o classicismo (KILOMBA, 2019), rompendo com o discurso hegemônico e com a ótica colonizadora sobre seus corpos, suas identidades e sua sexualidade (COLLINS apud BERTH, 2018). Para tanto, pretendemos analisar as vivências distintas dessas personagens, tendo em vista o contexto sociocultural brasileiro, no conto “Maria”, de Olhos d’água (2016), de Conceição Evaristo, e o contexto diaspórico entre Nigéria e Estados Unidos no conto “No seu pescoço”, de No seu pescoço (2017), de Chimamanda Adichie, observando como as personagens femininas são silenciadas e como enfrentam esse silenciamento. A escolha dessas autoras e de suas obras decorre de uma necessidade latente na contemporaneidade de um olhar sobre as questões de gênero interseccionadas com raça e classe sem a necessidade de hierarquizá-las (RIBEIRO, 2019), pois essas categorias se intercruzam na perspectiva do feminismo negro, buscando romper com uma cisão criada por uma sociedade desigual, patriarcalista e heterossexista.


Palavras-chave


Literatura negra; feminismo negro; mulheres negras; opressões estruturais.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.12957/seminal.2021.58349

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN: 1414-4298 | e-ISSN: 1806-9142

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.