ALÉM DAS FRONTEIRAS: ORALIDADE E ESCRITA EM CONTOS DE JOSEFINA PLÁ E ÁNGELES MASTRETTA

Betania Vasconcelos da Cruz, Maria Elisa Rodrigues Moreira, Altamir Botoso

Resumo


O objetivo deste artigo é apontar interrelações entre a escrita, a oralidade e a cultura em contos das obras Cuentos completos I e II (2014), de Josefina Plá, e Maridos (2009), de Ángeles Mastretta. As duas escritoras, em suas obras, buscam interpretar a diversidade latino-americana e, partindo do nacional, atingem o universal, pela incorporação de elementos que caracterizam os seus países de origem, tais como gírias, línguas específicas de determinados povoados (yopará e mixteco), objetos relacionados a uma determinada nação, gêneros/grupos musicais que caracterizam uma região/país (mariachis) no enredo de suas produções ficcionais. Como suporte teórico utilizamos as obras de Édouard Glissant (2005), Antonio Candido (2006), Rubén Bareiro Saguier. (2000), dentre outros.  Em suma, as narrativas de Plá e Mastretta representam uma linguagem multimodal mesclando o oral e o escrito, revelando as identidades e particularidades do contexto cultural paraguaio e mexicano através do processo comunicativo que é a escrita.

Palavras-chave


Literatura Latino-americana; Josefina Plá; Ángeles Mastretta; Contos; Autoria feminina.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.12957/seminal.2021.58327

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN: 1414-4298 | e-ISSN: 1806-9142

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.