IDENTIDADE NAS COLÔNIAS ALEMÃS DO RS: UMA LEITURA DE VALSA PARA BRUNO STEIN, DE CHARLES KIEFER

Cristiane da Silva Barcelos, Alessandra Paula Rech

Resumo


Este artigo propõe uma leitura de Valsa para Bruno Stein, escrita pelo gaúcho Charles Kiefer, na perspectiva das construções identitárias a partir da diáspora. Para isso, aborda conceitos de região e trata do período histórico em que se passa a trama, na década de 1980. Propõe, ainda, algumas reflexões sobre temas emergentes do enredo, como ditadura e racismo, a partir das relações estabelecidas nesse núcleo resultante de imigração alemã no interior do Rio Grande do Sul, retratado por Kiefer. Autores como Pierre Bourdieu, Pedro Luis Barcia, José Clemente Pozenato, Flávio Loureiro Chaves e Terry Eagleton estão entre as referências.


Palavras-chave


Região; Cultura; Diáspora; Contexto histórico; Identidade

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.12957/cadsem.2019.38572

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN: 1414-4298 | e-ISSN: 1806-9142

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.