A AMÉRICA EM CRISE NA TEMPESTADE PÓS-MODERNA DE PAUL MAZURSKY

Glória Elena Pereira NUNES

Resumo


O presente trabalho pretende discutir a questão daautorreferencialidade e da quebra do ficcional na adaptaçãocinematográfica dirigida por Paul Marzursky, em 1982, da peça ATempestade, de Shakespeare. Nesse sentido, ao transpor a ação dapeça para Nova Iorque e Grécia, o diretor, além de atualizar asquestões presentes no texto shakespeariano, analisa a crise devalores da sociedade americana, ao mesmo tempo em que recuperaum traço fundamental da obra de Shakespeare, qual seja, o nãorealismo e o descortinamento do caráter ficcional da obra, ao usar,dentre outros recursos, o superenquadramento e do que chamamosde “estética da moldura”.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.12957/cadsem.2013.12017

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN: 1414-4298 | e-ISSN: 1806-9142

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.