O ESPAÇO NA CONSTRUÇÃO DO FANTÁSTICO NO CONTO “NATAL NA BARCA”, DE LYGIA FAGUNDES TELLES

Rosana Gondim Rezende OLIVEIRA

Resumo


O presente trabalho propõe-se a estudar as espacialidades no conto “Natal nabarca”, de Lygia Fagundes Telles, observando suas relações com a instauraçãodo fantástico. Pretendemos também focalizar a capacidade inventiva da escritorade mesclar o conto de atmosfera ao conto de personagem, evidenciando queo espaço/ambiente contribui para acentuar uma atmosfera de solidão e morte,associada a um perfil de incompletude e solidão das personagens. Se os espaçossão bastante significativos, assim também o são as imagens, articuladas pelocromatismo simbólico da narrativa de Lygia Fagundes. O verde, reconhecido pelosenso comum como cor da esperança, da imaturidade, assume, nesse conto,um significado ambíguo – fruto da mistura do azul com o amarelo, equilibra-seentre a vida e a morte, entre a alegria e a morbidez. A presença do fantásticoevidencia que nem tudo pode ser explicado e detalhado. Assim, um misticismoreligioso subjacente se mostra, mas se os fatos religiosos são dogmáticos,eles acabam por encontrar no fantástico – instaurado substancialmente peloespaço – uma análise racionalizada pela lucidez científica. Nossos principaisreferenciais teóricos serão os estudos de Michel Foucault, de Mikhail Bakhtin,de Chevalier e Gheerbrant e de Todorov.

Palavras-chave


Conto; insólito; espaço narrativo; fantástico

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.12957/cadsem.2012.11008

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN: 1414-4298 | E-ISSN: 1806-9142

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.