A ÉTICA POLÍTICA NA PRIMEIRA REPÚBLICA NA FICÇÃO DE LIMA BARRETO

Sergio Luiz Monteiro MESQUITA

Resumo


Qualquer estudo sobre a obra do escritor Lima Barreto muito dificilmente poderia deixar de tocar na questão de sua crítica social contundente e inquietante em relação ao Brasil que conheceu em seu tempo e que, em linhas gerais, quase não difere do Brasil deste início do século XXI. Dentro desta crítica, muita vez efetuada sob a forma de alegoria e sátira, comparece o comentário e a análise dos fatos políticos contemporâneos à sua atividade literária; comentário e análise necessariamente indissociáveis de uma avaliação ética, manifesta ou implícita. Diversos autores têm analisado o conteúdo da crítica barretiana, entre outras coisas, às práticas políticas brasileiras e ao caráter dos dirigentes nacionais, incluindo as motivações pessoais, éticas e estéticas de Lima na produção desta crítica. Intelectual atento à vida de sua sociedade, Lima Barreto interessou-se pelo desenrolar dos eventos políticos, no período histórico em que viveu, a Primeira República, também conhecida como República Velha (1889-1930). Deixou registradas as suas impressões sobre eles, em diversas modalidades de escrita, às vezes abordando repetidamente os mesmos fatos e situações, sob luzes diferentes.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.12957/cadsem.2011.10910

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN: 1414-4298 | e-ISSN: 1806-9142

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.