A DESCONSTRUÇÃO DA LITERATURA FRENÉTICA EM ÁLVARO DO CARVALHAL

Danielle Vitorino da SILVA, Maria Cristina BATALHA

Resumo


A Questão Coimbrã foi o primeiro sinal de renovação ideológicaproveniente de um grupo de jovens escritores estudantes do século XIX, quetinham assimilado ideias novas que circulavam na Europa. Em Lisboa, AntonioFeliciano de Castilho tornara-se o padrinho oficial dos escritores mais novos,tais como Ernesto Biester, Tomás Ribeiro, Manuel Joaquim Pinheiro Chagas,Bulhão Pato entre outros. Antonio possuía influência e relações que lhepermitiam facilitar a vida literária dos muitos estreantes, serviço que estes lheretribuíam em elogios. Além de incentivar e orientar as carreiras literáriasatravés da chamada “Escola de Elogio Mútuo”, nome dado ao grupo em que oacademismo e o formalismo vazio das produções literárias correspondiam àhipocrisia das relações humanas, o realismo estava aí completamente ausente.Este foi o primeiro sinal de renovação literária e ideológica proveniente de umgrupo de jovens escritores do século XIX, que tinham assimilado as ideiasnovas e demolidoras dos conceitos estabelecidos em sua época. Essa reaçãogerou assim uma oposição à ideia de que o homem só existe na sua realidadefísica. Essa concepção acabou dando início a uma guerra sem tréguas entre osvários escritores românticos.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.12957/cadsem.2011.10380

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN: 1414-4298 | e-ISSN: 1806-9142

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.